domingo, 27 de novembro de 2011

Outra Janela

As palavras são a nossa condenação.
Com palavras se ama, com palavras se odeia.
E, suprema irrisão, ama-se e odeia-se com as mesmas palavras!

Eugénio de Andrade

10 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Se o poeta o diz...

Abraço

mfc disse...

Ele sabia do que falava... mas os olhos ficaram-me naquela rosa em botão!

Lídia Borges disse...

"As palavras são a nossa condenação"

Se é Eugénio a dizê-lo, que diremos nós?
De facto, as palavras revelam-nos tantas vezes!

Um beijo

heretico disse...

mas uma rosa é sempre uma rosa. ainda que fique em botão...

beijo

Luis Eme disse...

a fotografia está extraordinária.

em relação ao resto, o poeta diz o que quer, com ou sem razão. :)

beijinhos Maria Maio

Pitanga Doce disse...

Não há dúvidas. Com as mesmas palavras.

Mar Arável disse...

Não existem verdades absolutas

mesmo as do nosso Eugénio

mixtu disse...

apesar de dezembro, miro que tru casa es Maio
jajaja
abre a janela...

abrazo serrano

João P. disse...

Maria:

É bem verdade!

beijo
João P.

cuotidiano disse...

Segundo o ditado viking, "o amor e o ódio são os cornos da mesma cabra". E, ao que aqui leio, também é "opinião popular"... e quem serei eu para desmentir tão doutas opiniões?

Bom, aparte tudo, acho que, de facto, as palavras nos condenam - principalmente se proferidas em silêncio, em Mafra.

Beijo extremamente anónimo