segunda-feira, 15 de março de 2010

Outra Janela...


O livro aberto, esquecido, sobre a mesa
olha as rosas esquecidas numa jarra.
Dói-lhe ver as pétalas a cair ao desamparo...
É raro estar atento, mas hoje vive o som
e a arritmia de notas soltas [meio confusas]
do piano desafinado ,mesmo ali, na sala ao lado.
E com a janela semi-aberta
consegue ver a lua bem desperta a transbordar
de fantasmas vestidos com lençóis de luar.

O pingar de um chapéu de chuva junto à porta
diz-lhe que a tela que desenhou
nada tem de natureza morta.

Maripa
Mar Me Quer...


10 comentários:

Pitanga Doce disse...

Só a minha querida Maripa para escrever algo tão lindo assim.

beijos menina dos piscantes verdes

Maria disse...

Flores presas, ou tapete de flores?

Beijinho, minha Maria

poetaeusou . . . disse...

*
a longa
vivência da Maripa,
aqui . . . e agora !
,
conchinhas,
,
*

Maripa disse...

Às vezes sinto-me assim...como as tuas flores.

Beijinho e obrigada,querida Maria.Os meus olhos humedeceram...

O Profeta disse...

Imagino o canto maternal das baleias
Como doce e sentida balada
Imagino um beijo na procura
De uma fugidia criatura amada

Um domador de ventos e tempestades
Uma viagem de aventuras repleta
Serei eu um herói de comédia de enganos?
Ou apenas um pobre e louco poeta


Boa semana


Doce beijo

Joao P. disse...

Maria P.

Fiquei a contemplar

Beijo

João

Luis Eme disse...

a foto e o poema ainda têm o perfume intenso das rosas...

bjs para as duas

heretico disse...

gostei do texto poético. de verdade...

beijo

Maria P. disse...

Foi um prazer trazer as palavras desta Amiga para a Casa.

Obrigada Maripa:)

Beijinho a todos*

Licínia Quitério disse...

Boito poema, Maripa!
Obrigada, Maria.