quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Leituras

A noção de experiência é complexa.
Todo o espaço é de vidro - um vidro que não parte por fora mas parte por dentro. Estamos sempre a esbarrar com invisíveis barreiras. O que ele revela não é precisamente o que queremos saber. E se tivermos os olhos abertos até ao fim: vemos o quê? Como o espaço, o tempo não revela nada de especial. Só percursos.
Folhas de uma agenda descartável.

Ana Hatherly

«Tisanas»

6 comentários:

Lídia Borges disse...

Uma forma intensa de ler.

O tempo e o espaço vagos e insípidos.

A experiência é a forma como reagimos às barreiras e como encaramos a fragilidade do vidro.

Um beijo

Luis Eme disse...

e dúvidas...

beijinho M. Maria Maio

Rosa dos Ventos disse...

Gostei deste trago de "Tisanas"!

Abraço

Rui Fernandes disse...

Bem! Percursos são percursos, né?

João P. disse...

Profundo e Belo Maria P.

Profundo

Beijo
João P.

Eduardo Aleixo disse...

Texto profundo. O vidro parte-se-nos dentro e com os estilhaços o que vemos não é o que esperamos. Dá que pensar. O real é o quê? Percurso? Onde nos veos e vamos vendo....
Beijinho, amiga.