sábado, 9 de junho de 2012

Porque gosto.

Labirinto ou não Foi Nada

Talvez houvesse uma flor
aberta na tua mão.
Podia ter sido amor,
e foi apenas traição.

É tão negro o labirinto
que vai dar à tua rua ...
Ai de mim, que nem pressinto
a cor dos ombros da Lua!

Talvez houvesse a passagem
de uma estrela no teu rosto.
Era quase uma viagem:
foi apenas um desgosto.

É tão negro o labirinto
que vai dar à tua rua...
Só o fantasma do instinto
na cinza do céu flutua.

Tens agora a mão fechada;
no rosto, nenhum fulgor.
Não foi nada, não foi nada:
podia ter sido amor.

David Mourão-Ferreira

"À Guitarra e à Viola"

5 comentários:

Luis Eme disse...

há labirintos escuros...

a evitar para quem tem medo da escuridão. :)

beijinhos Maria Maio

mfc disse...

Ao olhar para trás revejo-me aqui em certa altura da minha vida...

heretico disse...

que belissimo perfume à manjerico...

beijo

Mar Arável disse...

O nosso David

Maria P. disse...

:)

Beijinho a Todos*