segunda-feira, 26 de abril de 2010

Leituras

O Quente Sabor

Sonhei com o quente sabor das tâmaras.
A polpa cor de açúcar queimado
a trazer lembranças de leite-creme das avós,
as fibras a prenderem-se nos dentes,
a retardar prazeres, a prolongar trabalhos.

Acordei na areia da praia e
quando disse bom-dia saiu da minha boca
um fruto sem nome que tomou o caminho
dos navios ao longe.

Licínia Quitério
«De Pé sobre o Silêncio»

8 comentários:

Luís disse...

bonito "quente-sabor".

bjs M. Maria Maio

Rosa dos Ventos disse...

Sonhos bons e doces!
Das minhas avós lembro os coscorões e o arroz-doce!

Abraço

CNS disse...

É linda a poesia da Licinia.

bjs

Maria disse...

E um quente e doce sabor.
Talvez a Licínia lance outro livro um dia destes, quem sabe...

Beijinho, minha Maria!

Joao P. disse...

Maria:

Esta foto também é bonita sim

Beijo

João

Rui disse...

Gosto sempre muito das palavras dessa senhora.

Maria P. disse...

Certas leituras são um verdadeiro prazer, e é um prazer ter a nossa Licínia:)

Beijinhos a Todos*

Manuela Freitas disse...

Não conhecia a poesia da Lícina, mas há tanta coisa que eu não conheço! Só assim uma pessoa pode estar viva e atenta!
Gostei tem cheiros e sabores e muita alma...
Bjs,
Manuela