segunda-feira, 21 de março de 2011

No Dia Mundial da Poesia

Só As Águas

Só as águas me acalmam. Águas frias
dos deuses regressados da loucura.
Nelas mergulho as mãos ao encontro
dos peixes da alegria. Com elas vão
os olhos e as imagens daqueles dias
em que o dia foi de todos. Antes
do saque da cidade. Antes dos muros.
Antes de nos venderem o medo de ter medo
e as sete chaves para fechar o coração.
As águas me darão o santo e a senha,
o novo abre-te sésamo das portas
da abundância repartida, do amor
de mão em mão, da claridade.
No hoje espero, as mãos na água,
e com elas os olhos e os pés bem firmes
na brancura das pedras que restaram.

Licínia Quitério
«Poemas do Tempo Breve»

8 comentários:

Lídia Borges disse...

Belíssima escolha para o dia de hoje.

São de água os versos...

Um beijo

Rosa dos Ventos disse...

Óptima escolha!

Abraço

Maria disse...

Todo o livro da Licínia é belo!
Obrigada por este poema, hoje.

Beijinho, minha Maria.

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...traigo
sangre
de
la
tarde
herida
en
la
mano
y
una
vela
de
mi
corazón
para
invitarte
y
darte
este
alma
que
viene
para
compartir
contigo
tu
bello
blog
con
un
ramillete
de
oro
y
claveles
dentro...


desde mis
HORAS ROTAS
Y AULA DE PAZ


COMPARTIENDO ILUSION
CASA DE MAIO

CON saludos de la luna al
reflejarse en el mar de la
poesía...




ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DE CHAPLIN MONOCULO NOMBRE DE LA ROSA, ALBATROS GLADIATOR, ACEBO CUMBRES BORRASCOSAS, ENEMIGO A LAS PUERTAS, CACHORRO, FANTASMA DE LA OPERA, BLADE RUUNER ,CHOCOLATE Y CREPUSCULO 1 Y2.

José
Ramón...

Justine disse...

Muito belo, todo o livro. Mas também gosto especialmente deste poema:)))

mfc disse...

...águas que tudo purificam!
Muito boa escolha, Maria.

heretico disse...

uma excelente escolha. belíssimo Poema. de uma talentosa Poetisa e querida amiga.

beijos.

Mar Arável disse...

Grande Licínia