terça-feira, 31 de maio de 2011

Da Janela Norte

Retive as marcas, as feridas por abrir, torneei o sangue, esbanjei ciclones.
- Mas nada.

5 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Mais nada?!
Mas já foi tanto...

Abraço

Luis Eme disse...

o lado Norte é sempre mais problemático...

beijinho M. Maria Maio

heretico disse...

mais nada - que é tanto.

beijos

Lídia Borges disse...

A cor das palavras
traz em si
o sabor de vendavais,
nortadas
que obrigam os barcos
a ficar no cais

Viagens adiadas!

Um beijo

mfc disse...

Toma um grande grande abraço!
(A foto é belíssima...!)