segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Da Janela Norte...

nascer

«Harmonioso vulto que em mim se dilui.

Tu és o poema

e és as origem donde ele flui.

Intuito de te ter. Intuito de amor

não compreendido.

Fica assim amor. Fica assim intuito.

Prometido.»

Natália Correia, in "O Livro dos Amantes"


12 comentários:

Lídia Borges disse...

Um diálogo harmonioso:o nascer da palavra e do sol no êxtase do momento.
Natália Correia... Sempre uma excelente escolha.

Um beijo

Mar Arável disse...

Natália Correia

de todas as janelas

Eduardo Aleixo disse...

Gostei da imagem e do poema. Beijinho.

Rosa dos Ventos disse...

Um nascer duplamente belo!

Abraço

Maria P. disse...

Lídia,
gosto realmente da poesia de Natália Correia.
Beijinho*

Maria P. disse...

Mar Arável,
de todas, sem dúvida.
Beijinho*

Maria P. disse...

Eduardo,
e eu gostei da tua visita à Casa.
Beijinho*

Maria P. disse...

Rosa,
nascer é belo...
Beijinho*

Maria disse...

Estranha sensação de que já tinha visto este post...
Bela fotografia, casando tão bem com as palavras da eterna Natália Correia!

Beijinho, minha Maria!

Maria P. disse...

Maria,
sensação de "déjà vu"? :)
Beijinho*

João P. disse...

Maria P:

Para mim é uma fantastica metáfora ao Outono que se aproxima

beijo

João

Maria P. disse...

João,
tu sabes "ler" muito bem os meus posts:)

beijo*