quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Outra Janela...


Amor como em Casa

Regresso devagar ao teu
sorriso como quem volta a casa. Faço de conta que
não é nada comigo. Distraído percorro
o caminho familiar da saudade,
pequeninas coisas me prendem,
uma tarde num café, um livro. Devagar
te amo e às vezes depressa,
meu amor, e às vezes faço coisas que não devo,
regresso devagar a tua casa,
compro um livro, entro no
amor como em casa.

Manuel António Pina

10 comentários:

Eduardo Aleixo disse...

Mas que lindo poema, Maria.
Beijos.
EA

Pitanga Doce disse...

Onde ficam esses pinheiros mansos, ó Maria???

Luis Eme disse...

bonitas escolhas, o poema e a fotografia...

beijos M. Maria Maio

Maria disse...

... ou entrar em casa como no amor...
Linda fotografia!

Beijinho, Maria

Raquel disse...

Adorei!
bjnhs

Rosa dos Ventos disse...

Não conhecia este poema de Manuel António Pina...
Obrigada pela partilha!

Abraço

Maripa disse...

Na Casa com amor...com amor na Casa de Maio.

Lindo poema,linda a foto.

Bem-hajas pela partilha.

Beijinho,Maria.

Carlos Rebola disse...

Só um poeta se lembraria de escrever, duma forma tão bonita, o que todos sentimos, "entrar no amor como em casa" onde é bom viver.
Obrigado

Beijos
Carlos Rebola

poetaeusou . . . disse...

*
belo poema,
bela foto,
,
bj,h,
,
*

Maria P. disse...

Eduardo,
concordo...
Beijinho*

Pitanga,
ficam perto de Seia.
Beijoca*

Luís,
aconteceu assim...
Beijos*

Maria,
isso...tudo pode acontecer no amor...:)
Beijinho*

Raquel,
obrigada, e bem-vinda à Casa.
Beijinhos.

Rosa,
eu gosto destas palavras,acalmam (me)...
Beijinho*

Maripa,
bem-hajas tu pelo teu carinho, sempre...:)
Beijinho*

Carlos,
são os poetas assim, e ainda bem...
Bem-vindo à Casa.
Beijinhos*

Poetaeusou,
como belas são as tuas visitas...
:)Beijinhos*