domingo, 2 de setembro de 2007

Autores...

MADRUGADA

Rápidas mãos frias
retiram uma a uma
as vendas da sombra
Abro os olhos
Ainda
estou vivo
No centro
de uma ferida ainda fresca.

Octavio Paz (México, 1914-1998)
Trad. de José Bento

4 comentários:

Maria disse...

É uma bonita madrugada. Um renascer...

Um beijinho, Maria

nana disse...

OBRIGADA por isto.

boa semana.

@-,-'-

poetaeusou . . . disse...

*
O homem é um ser que se criou a si próprio ao criar uma linguagem. Pela palavra, o homem é uma metáfora de si próprio.
,
in)Octavio Paz
,
bjis
h
*

Ramoa disse...

Mãos frias...
As minhas...